Viajando pelas lembranças: Idas e vindas em Buenos Aires

Nos últimos dias, eu estou em ritmo de faxina aqui em casa e isso tem me tomado algum tempo. Cada vez que abro uma gaveta, encontro uma caixa ou pasta com papeis, documentos ou outros objetos. Cada um que encontro, verifico o que tem de conteúdo e vou viajando nas lembranças. Eu nem lembrava o quanto eu tenho de pensamentos escritos com ideias sobre o que escrever no blog, que acabei, com o tempo, esquecendo, perdidos pelas gavetas.

Também tenho encontrado alguns registros de memórias, de viagens, de participações em cursos, entre tantos outros. Tudo isso é tão representativo, fala tanto sobre mim, as experiências, as vivências, as formas de ver a vida e o mundo que foram se transformando. Também mostra o tanto que amadureci com o passar do tempo. Mexa nos seus papeis, nas suas caixas e gavetas fechadas há algum tempo. É um momento que traz grandes reflexões e percepções sobre a vida.

Hoje, em uma dessas organizações, encontrei um texto que escrevi quando estive pela primeira vez em Buenos Aires. No ano de 2009, eu cursava Especialização em Avaliação Psicológica na Universidade de Santa Cruz do Sul – UNISC. Diante da abertura de vagas para um Intercâmbio de Estudos para os alunos da universidade, não hesitei em me inscrever. A possibilidade de passar dez dias fazendo um curso intensivo de espanhol, aprendendo uma outra língua e ainda experienciando a cultura de um outro país, fez brilhar meus olhos. Corri para escrever o texto solicitado para a seleção, separar meus documentos e enviá-los para análise. Aprovada na seleção, embarquei para a realização dessa experiência.

Em uma das aulas, na International Bureau of Language, um dos professores solicitou que escrevêssemos um texto, relatando alguma experiência vivida no local – a essa altura, já estávamos na metade do curso. Foi esse pequeno texto que encontrei na tarde de hoje e quero compartilhar com vocês. Não vou traduzi-lo, vou compartilhá-lo literalmente para que sintam um pouquinho do que vivi nos momentos em que tinha um intervalo e ia tomar um café ou comer um alfajor, nos minutos antes da aula, ou no final, a caminho do hotel, percorrendo as ruas e avenidas, visitando algumas lojas de presentes e livrarias. Era corrido para conhecer outros lugares, diante do tempo que tínhamos por lá, mas pude aproveitar e conhecer um pouco da essência de Buenos Aires nestes intervalos de tempo.

Fiquem com um pedacinho da minha visão de Buenos Aires, entre as idas e vindas para e da sala de aula, no post de hoje:


Los cafés de Buenos Aires

Lo más fantástico de Buenos Aires es salir por las calles y recorrer sus hermosos cafés. 
En esos localles es posible apreciar un sabroso café junto com un alfajor, naturalmente.
Además, mientras uno toma un café se puede buscar libros em las maravillosas librerías y locales para comprar cds de tango.
La atmósfera que se siente hace uno vivir el clima cultural, artístico y nostálgico de los porteños.
Me encanta conocer esta ciudad.


Tentei recuperar as fotos de um DVD antigo, sem sucesso: o DVD nem rodou. A sorte é que, naquela época, eu costumava revelar as fotos e separei algumas que coloquei em um álbum para ilustrar o post: (1) Colegas de turma e professores na International Bureau of Language; (2) Parte interna no Café Tortoni; (3) Turma reunida em frente a um monumento histórico, antes da aula; (4) Paradinha para um café antes da aula no Havana Café; (5) "Brindando" ou brincando com personalidades no Café Tortoni; (6) Tango no centro da cidade; (7) Praça que costumávamos atravessar na ida para as aulas.
Confesso que, ao relembrar, me deu vontade de voltar mais uma vez...



Comentários

Postagens mais visitadas