Por que Manaus?

O título deste artigo foi a pergunta que mais escutei quando eu contava que estava prestes a visitar Manaus. As pessoas sempre demonstravam uma certa estranheza no olhar e ainda completavam me dizendo que, entre tantos destinos, Manaus não seria a sua escolha. Entretanto, o Amazonas é uma região tão rica, não só no que se refere à natureza, mas em história e cultura. Bom, a minha ideia é poder mostrar aqui: “Por que Manaus?”

Esse, realmente, não é o destino turístico favorito dos brasileiros, mas é um destino comum para os estrangeiros, principalmente, norte-americanos. É, encontrei muitos deles por lá. Alguns vão em busca de atividades de ecoturismo e aventura. Outros, até escolhem a cidade para celebrar casamentos de uma maneira inusitada: em aldeias indígenas, hotéis de selva ou de luxo e em cruzeiros marítimos.

Manaus é uma cidade histórica e portuária e está localizada dentro da maior floresta tropical do mundo: a Floresta Amazônica. Dessa forma, temos muitas opções de lazer e é um destino que pode agradar a todos os gostos, desde quem prefere curtir a natureza, se aventurar, até aqueles que se interessam pela riqueza cultural e histórica do lugar.


Teatro Amazonas no Largo São Sebastião

Do avião, quando estamos chegando em Manaus, já temos uma das vistas mais impressionantes: o Encontro das Águas dos rios Negro e Solimões. Esse fenômeno, também, pode ser visto de perto em um passeio de barco. As águas não se misturam mesmo, pois os rios apresentam acidez, temperatura e velocidades diferentes. Dá até para tentar sentir a diferença de temperatura colocando a mão nas águas.

As águas claras e barrentas do Rio Solimões não se misturam às águas limpas e escuras do Rio Negro

Passeando pelo Rio Negro, é possível interagir com os botos rosa e tucuxis (botos cinza) – uma experiência encantadora. Os botos são dóceis e tão fofos. Eles vivem livres no rio e se aproximam quando notam a presença de comida. Em alguns momentos, eles podem passar por você e encostar de raspão. Nessa brincadeira, alguns sustos você vai levar.

Interação com botos rosa

A cultura indígena é muito presente em Manaus, seja na alimentação, artesanato, entre outros. É possível experienciar essa cultura por meio da participação em rituais dentro de uma aldeia indígena. Nós tivemos a oportunidade de visitar a Aldeia Tupé, lar da tribo indígena Dessana Tukana, conhecer o seu modo de vida, assistir a uma apresentação de dança, dançar com eles e até experimentar uma “deliciosa” iguaria: formigas torradas. Sim! Até que elas ficam gostosas: salgadinhas e crocantes.

Crianças brincando na Aldeia Tupé

Formigas torradas que experimentamos na maloca da Tribo Dessana Tukana

E por falar em comida, a culinária amazonense é bastante atrativa, com pratos exóticos, que preservam a origem indígena. Lá, você vai experimentar peixes deliciosos como o tambaqui e o pirarucu, comer muita banana frita – eu, particularmente, adoro! Provar pratos típicos como o X-Caboquinho (um sanduíche feito com pão francês e recheado com lascas de tucumã – fruta típica da Amazônia, banana pacovã frita e queijo coalho) e sentir adormecer a língua com o Tacacá (uma espécie de sopa bem forte com tucupi, goma de tapioca, camarões e folhas de jambu – essas deixam a sensação de adormecimento na língua).



O Tacacá da Gisela é o mais tradicional em Manaus


E por ser uma região que enfrenta períodos de cheia, você poderá conhecer uma outra maneira de vida nas comunidades flutuantes. Você poderá almoçar em um restaurante flutuante. Existe até comércio e outros tipos de serviços, todos flutuantes.

Algumas construções flutuantes

Posto de combustíveis flutuante



Com a diversidade de flora e fauna, é claro que Manaus conta com muitas opções de passeios e parques ecológicos. No Parque Janauary pode ser realizada a observação das vitórias-régias e, no caminho, você terá contato com muitos macacos brincalhões. Cuide dos seus pertences e comidas, eles adoram “furtar” alimentos.

Vitórias-régias no Parque Ecológico Janauary

Caminhando pelo parque, podemos observar vários macaquinhos brincalhões


Conhecemos o Parque Janauary em um passeio que incluía o Encontro das Águas, almoço em restaurante flutuante e visita à comunidade indígena. Esses passeios podem ser feitos a partir de tour de barco, contratando com agência ou com barqueiro particular, diretamente no Porto do Ceasa. Nós optamos por fazer o passeio pela Amazon Explorers, contratada a partir do próprio hotel, incluindo o traslado hotel-porto e porto-hotel, bem como o almoço.

Outros parques que podem ser conhecidos são o Museu da Amazônia - Musa, o Bosque da Ciência - INPA, o Zoológico do CIGS. É comum encontrar, em algumas regiões da cidade, animais pelas ruas. Nas proximidades do INPA, encontramos uma preguiça muito mimosa.

Manaus, também, tem muita história pra contar. Vale a pena conhecer o Centro Histórico. A visita ao Teatro Amazonas, um dos mais belos e antigos (1896) teatros do Brasil, é imprescindível. Possui grande valor arquitetônico e histórico, representando o apogeu do Ciclo da Borracha. É lindo por dentro e por fora.

Casas históricas no Largo São Sebastião

Catedral Metropolitana Nossa Senhora da Conceição

Vista da Igreja de São Sebastião, ao fundo, a partir da escadaria do Teatro Amazonas 


Vista lateral do Teatro Amazonas com a sua cúpula composta de peças em cerâmica e telhas vitrificadas, vindas da Alsácia, cujas cores fazem menção à bandeira brasileira

E se prepare para um calor bem rigoroso, já que a cidade se localiza próxima da linha do Equador. O clima é bem seco no período de junho a novembro, e chuvoso entre os meses de dezembro a maio, assim, pode-se dizer que Manaus tem duas estações: a seca e a chuvosa. Em qualquer época, o calor e a umidade são constantes. Então, use muito protetor solar, proteja-se com um boné ou chapéu, beba muita água e leve repelente.

Mas, para se refrescar e amenizar o calor, Manaus oferece a possibilidade de curtir uma praia. Dentre as opções, a praia da Ponta Negra, banhada pelo Rio Negro, é a mais tradicional. É uma praia fluvial de águas escuras e próprias para o banho. Terminamos um dos dias de nosso passeio lá, assistindo ao pôr do sol e com a vista da Ponte Rio Negro.

A Praia da Ponta Negra possui uma ótima estrutura para receber os visitantes

À esquerda na foto, a Ponte Rio Negro que, em 2017, passou a se chamar Ponte Jornalista Phelippe Daou e liga os municípios de Manaus a Iranduba

Pertinho de Manaus, a aproximadamente 120 km da capital, você ainda pode conhecer as cachoeiras de Presidente Figueiredo. Conhecida como a Terra das Cachoeiras, o município possui mais de 100 quedas d´água registradas, além de corredeiras, grutas e cavernas.

Ou ainda, para uma experiência mais intensa, você pode ficar hospedado em algum dos hotéis de selva. Opções não faltam em Manaus.

É uma viagem diferente e que vale muito a pena! O contato com a natureza que a região permite faz com que possamos perceber o quão pequenos nós somos, perto de tão imensas belezas naturais. Assim como faz com que possamos sentir mais respeito pela natureza.

Atualmente, vemos acontecer tantos desastres naturais, consequência de nossos próprios atos e, esse encontro com a natureza que Manaus proporciona nos faz repensar muitas de nossas atitudes e o quanto podemos colaborar para que possamos viver em um mundo melhor, adotando atitudes sustentáveis, colaborando com o meio ambiente e vivendo com mais simplicidade em nosso dia a dia.

Um lugar que você tem que conhecer pelo menos uma vez na vida!

Comentários

  1. Ahhh, esse Brasil ❤
    Post riquíssimo, Lu! Obrigada!

    ResponderExcluir
  2. Eu era uma que dizia que Manaus não seria uma escolha minha...mas impressionou! ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Manaus reserva grandes surpresas! Vale a pena conhecer!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas